A festa de Simone e Ivan Lins


Dupla traz a BH, em apresentação única, um show em que celebra décadas de amizade e parceria musical

MILTON LUIZ | O TEMPO – MAGAZINE | 23.03.2018

Quando Simone, 68, lançou “Carioca da Gema”, álbum que reuniu 13 músicas de Ivan Lins, 72, o compositor revelou que sempre sonhou em ter uma cantora exclusiva, assim como Burt Bacarach tinha Dionne Warwick. Com o lançamento do disco em 2004, o que Ivan acreditava ser “meio impossível”, enfim se concretizava: ele tinha uma cantora para chamar de sua.

Em 45 anos de carreira, a Cigarra sempre incluiu canções de Ivan em seus discos e shows. Tem sido assim desde 1973, quando gravou “Chegou a Hora” (Ivan e Ronaldo Monteiro de Souza), e, principalmente, a partir de 1979, quando deu uma versão definitiva a “Começar de Novo” (Ivan e Vitor Martins), tema da série global “Malu Mulher”.

“Quando gravei ‘Chegou a Hora’, não conhecia o Ivan pessoalmente. Acho que a gente se conheceu três, quatro anos depois, lá na (gravadora) Odeon. E nossa relação se estreitou e cresceu a partir de ‘Começar de Novo’. Gravei muito o Ivan, talvez tenha sido a pessoa que mais gravou ele”, diz a cantora.

Por isso é surpreendente que só agora os dois estejam fazendo um show juntos. “Simone Encontra Ivan Lins” chega à cidade neste sábado (24), em apresentação única no KM de Vantagens Hall. “Demorou demais”, dispara Simone. “Sonho com isso há décadas, queria ter feito nos anos 80. Estou no céu com esse projeto”, retribui Ivan.

O compositor lembra que foi depois de “Começar de Novo” que Simone realmente se tornou uma estrela. “Essa música ajudou muito na carreira dela e também na minha de compositor. Ganhamos uma boa grana e nossa amizade se fortaleceu. É minha música mais gravada no mundo, o melhor direito autoral que eu tenho. Que ‘Madalena’ que nada, o que me dá dinheiro é ‘Começar de Novo’ mesmo”, ri o cantor e compositor, antes de completar: “(Quando ‘Começar de Novo’ foi lançada) era um momento de evolução das mulheres. Tinha a pressão social, mulher não podia se separar porque virava puta. Autores ligados a essa questão feminina acabaram levando a discussão ao grande veículo que era a TV. Um programa desses na Globo, com Regina Duarte no papel da mulher separada, foi fundamental, revolucionário”, lembra Ivan.

Repertório. É claro que “Começar de Novo” está no repertório do show. Mas a dupla incluiu canções de Ivan que Simone nunca tinha gravado. “Vamos cantar músicas conhecidas nossas, principalmente as que ela gravou que se tornaram sucesso e outras que pouco cantamos no palco ou que ela nunca tinha interpretado. Para mim, das cantoras vivas, Simone talvez seja uma das três melhores do país. Tem uma voz particular, grave, um timbre bonito, único, lindo. Quem não conhece Simone e a ouve pela primeira vez, fica deslumbrado. Ela é uma grande artista brasileira, uma diva da música popular brasileira. E, antes de mais nada, é uma grande amiga”, derrete-se Ivan, dizendo que quando escuta uma canção sua gravada por outros cantores é sempre felicidade. “Em 90% dos casos, gosto muito. É como se o intérprete se colocasse dentro da minha obra. Quando faço uma música, penso muito nos intérpretes. Por exemplo, pensava muito na Elis (Regina). Então, quando ela gravava, ficava alucinado. Depois apareceu Sarah Vaughan e outras arrasando. A Simone gravou minhas músicas maravilhosamente bem, assim como Nana (Caymmi), Leni (Andrade), Fafá (de Belém), Zizi (Possi), todas fabulosas”.

E Simone devolve: “Eu poderia fazer um novo disco só com músicas do Ivan. Isso só me engrandeceria. Mas, para isso acontecer, os dois teriam que parar, fincar os pés em algum lugar do Brasil ou sei lá onde para ficarmos juntos, pensando nisso. A música vai brotando no Ivan. Você tem que fechar a torneira porque é uma loucura o que ele compõe rindo. A quantidade de músicas é tanta que não é fácil escolher. Você tem que abrir mão de um monte de coisas para cantar outro monte de coisas. Escolher 18, 20 músicas não é fácil, principalmente sabendo que algumas a gente sabia que estariam no show, tipo ‘Começar de Novo’. O repertório do Ivan te dá a possibilidade de fazer dez shows cantando coisas diferentes”, afirma a intérprete, que convocou a também cantora Zélia Duncan para dirigir o show.

Inicialmente, Simone pensou em chamar Ney Matogrosso para assinar a direção, mas devido à agenda de shows, o cantor não pôde participar. “Eu tinha pensado na Zélia para dirigir, mas não externei isso para o Ivan. Quando o Ney falou que ficaria muito em cima da hora e que não daria para fazer, o próprio Ivan sugeriu a Zélia. Liguei e ela topou. A gente precisava de uma pessoa que olhasse de fora. Esse é o grande trabalho de um diretor. E Zélia, como cantora e como atriz, nos dá esse olhar”. (com Thiago Prata, Jessica Almeida e agência)

Serviço. “Simone Encontra Ivan Lins”, no KM de Vantagens Hall (av. Nossa Senhora do Carmo, 230, Savassi), sábado (24), às 22h, com ingressos entre R$ 1.000 (mesa de quatro lugares, setor 1) e R$ 120 (arquibancada, inteira, 2º lote)

Repertório

Confira o provável set list do show:

“Abre Alas”
“Cantoria”
“Somos Todos Iguais Nesta Noite”
“A Noite”
“Aos Nossos Filhos”
“O Amor É Meu País”
Música inédita
“Começar de Novo”
“Baiana da Gema”
“Vieste”
“Mudança dos Ventos”
“Vitoriosa”
“É Festa”
“Ai, Ai, Ai, Ai, Ai”
“Bilhete”
“Atrevida”
“Bandeira do Divino”
“Antes que Seja Tarde”
Bis
“Desesperar Jamais”


DETALHE DE CAPA