SIMONE BITTENCOURT DE OLIVEIRA (1995)

   Letras | Encartes | MúsicosFicha Técnica | Show | Fotos | Imprensa | Programa    


SIMONE BITTENCOURT DE OLIVEIRA

Simone
(P) 1995 SONY/COMLUMBIA    (26o. álbum)



 
 
1. DANADINHO DANADO
 
Danadinho danado
(Martinho da Vila/ Zé Catimba)
 
Citação Musical ‘Disritmia’ (Martinho da Vila) 
Participação especial: Martinho da Vila
 
Você é demais
Muito mais demais
Sentimento lindo
Nossos corpos gostam
Se a gente se enrosca
Misturando os pelos
Me pegou carente
Me fez dependente
Muito mais mulher
E se permitiu
A fazer de mim
O que bem quiser
 
Benzinho vida minha transformou
Extrapolou, me envolveu
E agora tem que ser meu namorado
 
Danadinho danado
Tudo em mim é seu
 
Só seu meu desejo
E a minha paixão
Só seu meu orgasmo
E a minha emoção
Minha luz, meu som
E o meu cantar
Você é com quero me casar
 
Danadinho danado
Será todo meu
Danadinho danado
Tudo me mim é seu
 
Vem logo vem curar seu nêgo
Que chegou de porre lá da boemia
 
Danadinho danado
Será todo meu
Danadinha danada
Tudo meu é seu
 
Danadinho danado
Será todo meu
Danadinha danada
Serei todo seu
 
Você é demais
 
Bateria: Fernando Pereira
Baixo: Jorjão
Violão base: Claudio Jorge
Teclados: Itamar Assiere
Pandeiro: Paulinho da Aba
Xique Xique: Pirulito
Tamborim: Ovídio
Tan tan, Reco Reco: Beloba
Violão de 7: Jorge Simas
Harmônica: Milton Guedes
Arranjo: Ivan Paulo
 
2. ELEGIA
 
Elegia
(Péricles Cavalcanti/ Augusto de Campos)
 
A partir de um poema de John Donner, poeta do séc. XVII
 
Deixa que minha mão errante adentre
Atrás, na frente, em cima, embaixo,
entre
 
Minha América, minha terra à vista
Reino de paz, se um homem só
a conquista
 
Minha mina preciosa, meu império
Feliz de quem penetre o teu mistério
Liberto-me ficando teu escravo
Onde cai minha mão, meu selo gravo
Nudez total: todo prazer provêm
do corpo
 
(Como alma sem corpo) sem vestes
Como encadernação vistosa,
Feita para iletrados, a mulher
se enfeita
 
Mas ela é um livro místico e somente
A alguns a que tal graça se consente
É dado lê-la
Eu sou um que sabe
 
Bateria: Carlos Bala
Baixo: Paulo Cesar
Guitarra e Violão: Paulo Coelho
Percussão: Firmino
Teclado: Ricardo Leão
Piano acústico: Julinho Teixeira
Flautas: Eduardo Monteiro e David Ganke
Clarinete: Botelho
Clarone: Bijú
Arranjo: Chiquinho de Moraes
 
3. QUEM É VOCÊ
 
Quem é você
(Isolda/ Eduardo Dusek)
 
Quem será que me chega
na toca da noite
Vem nos braços de um sonho
que eu não desvendei
Eu conheço o teu beijo,
mas não vejo o teu rosto
Quem será que eu amo
e ainda não encontrei
 
Que sorriso aberto
ou olhar tão profundo
Que disfarce será que usa
pro resto do mundo
Onde será que você mora
Em que língua me chama
Em que cena da vida
haverá de comigo cruzar
 
Que saudade é essa
do amor que eu não tive
Por que é que te sinto se nunca te vi
Será que são lembranças
de um tempo esquecido
Ou serão previsões
De te ver por aqui… então vem
 
Me desvenda esse amor
que me faz renascer
Faz do sonho algo lindo
que me faça viver
Diz se fiz com os céus algum trato
Esclarece esse fato
e me faz compreender
 
Esse beijo, esse abraço na imaginação
E descobre o que guardo pra ti
no meu coração
Mas deixa eu sonhar, deixa eu te ver.
Vem e me diz: quem é você
 
Bateria: Claudio Infanti
Baixo: Jorjão
Trompa: Chiquinho de Moraes
Piano: Jota Moraes
Violão: Zé Carlos
Clave e Pandeiro: Mazzola
Clarone: Bijú
Orquestração: Chiquinho de Moraes
 
4. ESPERE POR MIM, MORENA
 
Espere por mim, morena
(Gonzaguinha)
 
Espere por mim, morena
Espere que eu chego já
O amor por você, morena
Faz a saudade apressar
 
Tire um sono na rede,
deixe a porta encostada
Que o vento da madrugada
Já me leva pra você
E antes de acontecer,
O sol, a barra vir quebrar
Estarei nos teus braços
Para nunca mais voar
 
Espere por mim, morena
Espere que eu chego já
O amor por você, morena
Faz a saudade apressar
E nas noites de frio
Serei o teu cobertor
‘Quentarei’ o teu corpo
Com meu calor
Ah, minha santa, te juro,
Por Deus Nosso Senhor
Nunca mais, minha morena,
Vou fugir do teu amor
 
Bateria: Cezinha
Baixo: Jorjão
Percussão: Firmino
Acordeon: Osvaldinho
Viola de 12 cordas: Manacês
Violão: Marco Pereira
Arranjo de Base: Cristovão Bastos
Arranjo de Cordas: Chiquinho de Moraes
 
5. PROCISSÃO
 
Procissão
(Gilberto Gil)
 
Participação das Mulheres Ritmistas da Didá Escola de Música de Salvador com base regida por Mestre Neguinho do Samba
 
Olha lá vai passando a procissão
Se arrastando que nem cobra pelo chão
As pessoas que nela vão passando
Acreditam nas coisas lá do céu
As mulheres cantando tiram versos
E os homens escutando tiram o chapéu
Eles vivem penando aqui na terra
Esperando o que Jesus prometeu
 
E Jesus prometeu vida melhor
Pra quem vive nesse mundo sem amor
Só depois de entregar o corpo ao chão
Só depois de morrer neste sertão
Eu também estou do lado de Jesus
Só que acho que ele se esqueceu
De dizer que na terra a gente tem
De arranjar um jeitinho pra viver
 
Muita gente se arvora a ser Deus
E promete tanta coisa pro sertão
Que vai dar um vestido pra Maria
E promete um roçado pro João
Entra ano e sai ano e nada vem
Meu sertão continua ao Deus-dará
Mas se existe Jesus no firmamento
Cá na terra isto tem que acabar
 
Baixo: Arthur Maia
Teclado: Jota Moraes
Violão: João Lyra
Arranjo: Mazzola
Base: Gravado no ‘Estúdio W.R.’ (Salvador)
Técnico de gravação: Marcelo Machado
Auxiliar: Mário Sérgio
 
6. O QUE É AMAR
 
O que é amar
(Johnny Alf)
 
É só olhar, depois sorrir, depois gostar
Você olhou, você sorriu, me fez gostar
Quis controlar meu coração
Mas foi tão grande a emoção
De sua boca ouvi dizer: quero você
 
Quis responder, quis lhe abraçar
tudo falhou;
Porém você me segurou e me beijou
Agora eu posso argumentar
Se perguntarem o que é amar:
É só olhar, depois sorrir, depois gostar
 
Bateria: Cezinha
Baixo: Jorjão
Percussão: Robertinho Silva
Violão: Paulo Coelho
Piano: Luizinho Avelar
Flugel Horn: Marcio Montarroyos
Arranjo: Luizinho Avelar
 
6. QUEM TE VIU, QUEM TE VÊ
 
Quem te viu, quem te vê
(Chico Buarque de Hollanda)
 
Você era a mais bonita
das cabrochas dessa ala
Você era a favorita
onde eu era mestre-sala
Hoje a gente nem se fala,
mas a festa continua
Suas noites são de gala,
nosso samba ainda é na rua
 
Hoje o samba saiu procurando você
Quem te viu, quem te vê
Quem não a conhece
não pode mais ver pra crer
Quem jamais a esquece
não pode reconhecer
 
Quando o samba começava,
você era a mais brilhante
E se a gente se cansava
você só, seguia a diante
Hoje a gente anda distante
do calor do seu gingado
Você só dá chá dançante,
onde eu não sou convidado
 
O meu samba se marcava
na cadência os seus passos
O meu sono se embalava
no carinho dos seus braços
Hoje de teimoso eu passo
bem em frente ao seu portão
Pra lembrar que sobra espaço
no barraco e no cordão
 
Todo ano eu lhe fazia
uma cabrocha de alta classe
De dourado eu lhe vestia
pra que o povo admirasse
Eu não sei bem com certeza
por que foi que um belo dia
Quem brincava de princesa
acostumou na fantasia
 
Hoje eu vou sambar na pista,
você vai de galeria
Quero que você assista
na mais fina companhia
Se você sentir saudade,
por favor não dê na vista
Bate palma com vontade,
faz de conta que é turista
 
Bateria: Jurim
Baixo: Jorjão
Percussão: Firmino
Teclado: Paulo Calanzans
Violão: Zé Carlos
Caixa, repique e tamborim:
Odilon Costa, Paulo Renato Lopes, Lourival Souza, Douglas Martins,
Joelson David, Beloba, Paulo José Botelho e Silvio Fernandes Chagas
Surdo: Silvio Fernandes Chagas
Ganzá: Paulinho
Pandeiro: Beloba
Vocal com os mestres:
Odilon, Paulão, Paulo Renato, Paulinho, Coé, Mugi, Alcir,
Silvão, Silvio, Jorjão e Beto
Arranjo: Ivan Paulo
 
7. PARE DE ME ARRANHAR
 
Pare de me arranhar
(Marcio Proença/ Darcy de Paulo/ Flávio A. de Oliveira/ Marco Aurélio)
 
Pare de me arranhar
A tua unha pode se quebrar
A minha pele pode se ofender
E o meu pêlo não voltar atrás
 
Se eu quiser vou ser um bambuzal
Não vou ter medo do teu vendaval
Pra não vergar nem na hora da dor
De um adeus, mas vou dar
 
Um olá de adeus
Use a receita que o doutor te deu
Cafiaspirina com colher de chá
De água de cheiro, emplastro Sabiá
 
Mas pra saudade não tem hospital
Só tem um jeito de curar o mal
É só chorar, ver o tempo passar
pra depois enxergar
 
O adeus, olá
Tome esse conselho meu:
Pare de me arranhar.
 
Bateria: Cezinha
Baixo: Jorjão
Violão: Paulo Coelho
Piano: Luizinho Avelar
Trompete: Marcio Montarroyos
Arranjo: Luizinho Avelar
 
8. LEÃO FERIDO
 
Leão ferido
(Biafra/ Dalto)
 
Feche os olhos, não te quero mais
Dentro do coração
Quantas vezes eu tentei falar
Com você
 
Eu não gosto de me ver assim
Mas não tem solução
A verdade dói demais em mim
Solidão
 
Tenho que ser bandido
Tenho que ser cruel
Um leão ferido
Feroz
 
Sou um herói vencido
Anjo que fere o céu
Um grito de amor sumido
Na voz
 
E nós
Hoje
 
Bateria: Serginho
Baixo: Nando
Piano: Cleber
Guitarra: Kiko
Percussão: Paulinho e Mazzola
Arranjo de base e teclado: Ricardo Fegale
Sax Alto: Zé Carlos
Sax Tenor: Marcelo Martins
Sax Barítono: Léo Gandelman
Solo Sax: Léo Gandelman
Arranjo de cordas e metais: Chiquinho de Moraes
 
9. ENTRE O SIM E O NÃO
 
Entre o sim e o não
(João Donato/ Abel Silva)
 
Há tanta vida entre o sim e o não
É tão difícil entender
O que pretende o meu coração
Em seu estranho querer
Onde ele vai eu nem sempre vou
Bate distante de mim
E às vezes dói onde eu não estou
Incompreensível assim
Sei que lá fora agora é o mar
Sua presença me diz
Não é difícil imaginar
Eu com você sou feliz
Qualquer esquina, qualquer lugar
Um beijo, um aperto de mão
Meu coração sabe desejar
Pena que seja ilusão
 
Ah! Eu não quero a saudade
Na realidade
Eu quero é você
Mas no amor está provado
Não vale o ditado:
Querer é poder
 
Abro os meus olhos, não vou chorar
Quem sabe lá se você
Não pensa agora em telefonar
Surpreendida de ver
Que o amor dá voltas de arrepiar
Tanta surpresa e emoção
Desejo tanto acreditar
Eu e o meu coração
 
Bateria: Carlos Bala
Baixo: Jorjão
Percussão: Firmino
Violão: Paulo Coelho
Acordeon: Julinho Teixeira
Arranjo de base: Eduardo Souto Neto
Arranjo de cordas: Chiquinho de Moraes
 
10. NOITE DOS MASCARADOS
 
Noite dos mascarados
(Chico Buarque)
 
Quem é você
Adivinhe, se gosta de mim
Hoje os dois mascarados
Procuram os seus namorados
Perguntando assim
Quem é você, diga logo
Que eu quero saber o seu jogo
Que eu quero morrer no seu bloco
Que eu quero me arder no seu fogo
 
Eu sou seresteiro,
Poeta e cantor
O meu tempo inteiro
Só zombo do amor
Eu tenho um pandeiro
Só quero um violão
Eu nado em dinheiro
Não tenho um tostão
Fui porta-estandarte,
não sei mais dançar
Eu, modéstia à parte,
nasci para sambar
Eu sou tão menina
Meu tempo passou
Eu sou Colombina
Eu sou Pierrot
Mas é Carnaval,
Não me diga mais quem é você
Amanhã tudo volta ao normal
Deixe a festa acabar
Deixe o barco correr
Deixe o dia raiar
Que hoje eu sou
Da maneira que você me quer
O que você pedir,
Eu lhe dou
 
Seja você quem for
Seja o que Deus quiser
Seja você quem for
Seja o que Deus quiser Baixo: Jorjão
Percussão: Robertinho e Wanderlei
Sax tenor: Bijú
Clarinete: Clóvis Timóteo e Botelho
Trompete: Nilton Rodrigues e Enedir
Trombone: Roberto Marques
Violão de 6: Neco
Violão de 7: Sombrinha
Base: Mestre Paulinho e seus Ritmistas
Arranjo de Cordas e Metais: Chiquinho de Moraes
 
11. PRELÚDIO
 
Prelúdio
(Raul Seixas)
 
Sonho que se sonha só
É só um sonho que se sonha só
Mas sonho que se sonha junto
É realidade
 
Baixo: Jorjão
Violão: Luizinho Avelar
Percussão (Tímpano e Pratos): Robertinho Silva
Concepção de Arranjo: Miguel Cidras
Arranjo: Luizinho Avelar


 
FICHA TÉCNICA
 
Produzido por Mazzola para MZA Music
Assistente de produção: Foguete
Assistente Musical: Jorjão
Assistente de Direção: Mel
Gravação e Mixagem: Impressão Digital e W.R.
Técnicos de Gravação: Marcelo Sabóia, Marcelo Machado e Roberto Marques
Auxiliares de Gravação e Mixagem: Marcelo ‘Load’, Marcelo ‘Sombra’,
Marcos Vicente, Luiz Fernando, Mário Sérgio e Claudio Ruffo
Técnicos de mixagem: Mazzola e Marcos Sabóia
Arregimentação: ‘Marcelinho’
Impressão digital: Heloiza, Geraldo, Ronaldo, Edmilson e Ângela
 
Masterização: New York
Engenheiro: Tony Dawsey
 
Criação de capa e direção de arte: Noguchi
Arte final: Noguchi e Yassu
Fotos Capa e Encarte: Garrido
Assistentes: Kaká e Alexandre
Foto Flor de Lótus: Lena Trindade
Make-up e Hair: Selma Garcia, Miltinho e João Vicente
 
Direção geral: Simone
 
Obrigada e beijos: Bibi, Chris, Centelha, Jorjinho, Leila, Mel, Mário, Sena e Vicente
 
(P) 1995 Sony Columbia
 
FORMATOS
 
1995 – SONY/COLUMBIA – CD (758.227/2- 479037)
1995 – SONY/COLUMBIA – LP (237.097/1-479037)
1995 – SONY/COLUMBIA – K7 (97.097/4- 479037)
 
 
MÚSICOS
 
Cordas
Violinos:
Jorge Faini, Paschoal Perrota, Alfredo Vidal, José Alves, José Dias, Bernardo Bessler, Walter Hack, João Jerônimo de Menezes, Carlos Eduardo Hack, Marcelo Pompeu, Kléber Kurt, Bailon Francisco, João Daltro, Michel Bessler, Ricardo Amado e Carmelita Reis
 
Violas:
Hindemburgo Vitoriano, Frederich Stephany, Marie Christine Springuel, Jesuína Passaroto, Arlindo Figueiredo e Eduardo Pereira
 
Cellos:
Alceu de Almeida, Marcio Eymard, Luiz Fernando Zamith, Jorge Kundert, Henrique Drack e Ricardo Rossi
 
Demais músicos estão relacionados individualmente em cada faixa.