SIMONE POR PERSONALIDADES


1978-Simone-SueliCosta
Sueli Costa compositora
“Simone sempre aparece quando está escolhendo um repertório de um disco. Depois, desaparece, seguindo o seu ofício de cantar, operária que é do seu canto. É mais ou menos assim como aquela canção que já fiz e quase não toco mais. De vez em quando ligo o rádio e topo com as duas ela e a canção: parecem irmãs. Morro de orgulho e ternura”. [MAIS]
Programa do show ‘Pedaços’ | 1979
 

Aramis Millarch jornalista

“Simone, 23 anos, baiana de Salvador, cantava para um reduzido número de amigos, jogou basquete no colégio e depois na Seleção Baiana. Foi para São Paulo há cinco anos … Alta, bonita, um pouco tímida, Simone tem uma voz marcante, um estilo próprio de interpretar as composições  … Anotem o nome de Simone e confirmem no futuro: uma intérprete de quem se vai falar muito”.
Jornal Estado do Paraná | 15.04.1973

 

André Drossart jornalista

“Há Simone, uma grande cantora com sorriso de madona, felina até as unhas e de uma sensualidade frágil em cada uma das suas interpretações”.
Jornal ‘Le Soir’ | Bruxelas, Bélgica | 09.11.1973
 
Fernando Lobo compositor

“O que ele nos entrega é a voz bonita da moça bonita Simone, pedaço da Bahia nos olhos, cheiro da Bahia no sangue, dengues de Bahia no caminhar. Seu canto é a cantiga do Brasil que ontem Carmen Miranda cantou e fez arregalar o olho do homem norte-americano. Ela sabe dizer sua música, como sabe do seu embalo de rede ou do tempero gostoso dos 365 tipos de vatapás que correspondem a cada igreja que a Bahia tem”.
Álbum ‘Brasil Export 73 – Ago Kelofê – Á Bruxelles’ | EMI | 1973
 

Patrícia O’Haire jornalista

“O grande momento do show é Simone. Ela tem uma profunda, penetrante e maravilhosa voz, de generosa tessitura”.
Jornal ‘Daily News’ | Estados Unidos | 1974

 
Hermínio Bello de Carvalho poeta, produtor cultural

“’Gotas d’Água’ tem muito a ver com o empoçamento que existe em seu coração. Simone é essa lâmina gotejada, ser dividido entre mulher e anjo (…) Queremos oferecer o que se buscou lá no fundo, e o que deixaram vir à tona. Que vocês amem Simone, como nós a amamos”. [MAIS]
Álbum ‘Gotas d´Água’ | EMI |1975
 

‘Face a Face’ release

“Simone, face a face: Esta artista, muitas vezes, mente pra gente. Não por sua própria culpa, mas pelas interpretações que faz. Um cantor, é um ator. Sentimento, é o mais importante. Para isto, além de artista. é preciso ser gente. E Simone é. Gosta de fazer brincadeiras ingênuas, rir, sonhar e cantar. E quando ela canta, esquecemos da pessoa que interpreta e damos gratuitamente à sua personalidade os conceitos que captamos. Se a música é triste, Simone é uma dama. Se a melodia é harmoniosa, Simone é cheia de vida. Se Simone é alegre, a música é alegre, dá vida aos personagens na música, dá clima, dá de si, confunde a gente.
Mostra com sua arte que, para cantar, é preciso dar e receber. É preciso ter amor. E o amor judia da gente. Até apreendê-lo. Ele está em tudo: neste novo disco, na sua arte e nas pessoas”.
1977

 

Dirceu Soares jornalista

“É bom ouvir Simone: ela é alegre ou triste quando a música pede. Boa intérprete, sabe dizer as palavras e, mesmo com apenas um piano ao fundo, é segura”.
Jornal  ‘Folha de S.Paulo | 02.08.1977

 

1974-Simone-Hermínio1
 

Edson Pinto jornalista

“Caminhando e cantando e seguindo a canção. Caminhar para um ponto, em que a música se transforma em palavras que não podemos dizer; seguindo a idéia que as mesmas palavras revelam e cantar, cantar para quem quiser ouvir. Assim é a carreira de Simone”.
Revista ‘Som Três’ | 1979
 

Joaquim Ferreira dos Santos jornalista

“E tão certo como haverá muita loucura nas areias de Ipanema, sabe-se desde já também que os dias tórridos passarão e pouca coisa se terá ouvido de tão emocionante quanto Simone cantando ‘Pedaço de mim’, de Chico Buarque”.
Revista VEJA | 19.12.1979

 
Festa do Avante

“O show dos artistas brasileiros, meticulosamente preparado com intensos ensaios realizados tanto no Brasil, como já em Portugal – sob a direção de Ruy Guerra (…)  Assim que Simone acabou de cantar ‘O que será’, milhares de braços ergueram-se no ar, porque o espaço era nenhum para as palmas que o público lhe queria tributar (…) As mais de cento e cinqüenta mil pessoas que estiveram na Ajuda a ouvir o abraço de solidariedade dos artistas brasileiros ao povo  português em forma de canção”.
Jornal ‘Avante’ | Portugal | 17.07.1980
 

 Abel Silva compositor

“Há as cantoras que SOAM e as que SUAM e embora será respeitável o esforço desta últimas, é o privilégio da voz bonita o que mais interessa numa profissional de canto.
E como é bonita a voz desta mulher!
É um sopro potente, cálido, que vem de dentro, passa sempre pelo coração e brota emocionado e limpo da boca bonita da morena brasileira. Em Simone a preocupação do aprimoramento técnico – notável em seu trabalho – não tira esta riqueza da voz que viaja pela pessoa que canta. Esta é uma característica das grandes intérpretes: a voz é uma doação do ser, não apenas a expressão de uma profissional competente. Desde ‘Jura Secreta’ – nosso primeiro encontro – que não separo mais meus trabalhos desta voz. Minhas palavras são ditas por Simone de uma maneira recriadora. Para minha alegria, orgulho e emoção”. [MAIS]
Programa do show ‘Simone’ | 1980 

 

2001-Simone-FernandaMontenegro
Fernanda Montenegro atriz
 
“Uma pessoa é o que a sua voz é. No jogo dramático e no canto, o artista também é o que são a sua voz e o seu canto”. [MAIS]
Release álbum ‘Desejos’ | 1984
 

 Ronaldo Bôscoli compositor

“Simone é uma cantora bonita por dentro e por fora. Sua voz é a cara dela, alta, morena, charmosa e cheia de mistério”.
Programa do show ‘Pedaços’ | 1979 

 

Dina Sfat atriz

“Quase tão bom quanto assistir Simone é ser assistida por ela no teatro.
A paixão que ela tem pelo teatro dá sentido a nossa profissão.” 
Programa do show ‘Pedaços’ | 1979

 

Flávio Rangel diretor

“E não posso imaginar o que devo ter feito de tão bom para os deuses da música que os fizessem ter Simone no meu caminho. Ela é uma personalidade fulgurante, de um talento rico e variado, de uma emoção que se espalha por toda alma e todo o seu corpo. E tem a maior qualidade que vejo num artista: é uma trabalhadora infatigável. Tudo isso envolto por uma beleza deslumbrante. E por isso me esforço para dar-lhe um espetáculo de categoria; porque a quero muito, muito bem. E de Simone quero tudo, neste momento que vamos começar de novo. Quero suas garras, suas escoras, seu fascínio”. [MAIS]
Programa do show ‘Simone’ | 1980

 

Elis Regina cantora
“Gosto muito da Simone. Potencialmente, vê-se nela a possibilidade de um desabrochar grande. É uma mulher bonita, seu repertório é muito bom e está muito bem assessorada pelo Flávio Rangel e pelo Nelson Ayres”.
Semanário ‘Pasquim’ | 1980

 

1981-Simone-Rachel-de-Queroz

Lúcia Leme jornalista

“É uma presença forte, alta (um metro e oitenta mesmo), esguia como uma garça. Simone Bittencourt de Oliveira também é bonita. Tão bonita quanto teimosa. Tão teimosa quanto capricorniana, signo de Cristo. Os cabelos são fartos e crespos. As mãos, enormes, desajeitadas mas calmas, tem o rosto de uma adolescente que ajuda, dando-lhe um certo charme de menina-mulher, nos 30 anos sem marcas visíveis. O sotaque baiano dá o seu tom. Fala devagar. Pensa direitinho. Parece sincera e racional (…)    Para quem nunca a vira antes, Simone parecia mais jovem, mais magra e mais bonita que a cantora das fotos e das aparições em televisão. O tempo todo que conversamos não consegui ver seus olhos. Os tais óculos escuros permaneceram em seu rosto como se, escondendo-lhe os olhos, escondessem também a sua alma”.
Revista Manchete | 1981

 
Rachel de Queiroz escritora

“Hoje sublimo, em cantores como você, tudo o que sonhei e não realizei. Vendo você cantar, eu sinto uma satisfação vicária. Esta é a palavra. Vicária. É uma substituição. Araci de Almeida era a minha cantora preferida, por interpretar as músicas de Noel Rosa. Eu me projetava nela. Das cantoras modernas, você é a que realiza os meus padrões de cantora. Me sinto feliz vendo e ouvindo você cantar”.
Revista Manchete | 1981
 

 

Okky de Souza jornalista

“Simone Bittencourt de Oliveira nasceu duas vezes. A primeira, em 1950, num bairro de classe média de Salvador, na Bahia. A segunda, na noite de 7 de fevereiro passado, no estádio do Morumbi, em São Paulo, quando ergueu um coro de 90.000 vozes na apoteose do show Canta Brasil, com a canção Caminhando nos lábios e lágrimas nos olhos. Quando terminou de cantar, era mais uma estrela no céu”.
Revista Veja | 24.03.1982

 

Chiquinho de Moraes maestro

“Ela é capaz de se emocionar até as lágrimas com uma frase mais trabalhada pelas cordas como também é capaz, numa fração de tempo, de se agigantar incrivelmente sob a pressão de um ataque dos metais. Nesses momentos, ela ora me parece um tigre em salto esplendoroso, ora me parece uma gaivota em vôo suave”.
Programa do show ‘Corpo e Alma’ | 1982

 

Joaquim Ferreira dos Santos jornalista
 
“Depois de fechar os olhos e os punhos, com os braços abertos (…) Nesses momentos, angustiada, Simone fica profundamente selvagem, parece tomada por algo irresistível. Ninguém é mais charmosa no palco da música brasileira”.
Revista VEJA | 08.12.1982
 

Arthur da Távola jornalista

“Simone é a representação simbólica de inúmeras marcas e perplexidades contemporâneas, por isso seu canto traduz a emoção de milhares de outros (…) Essa mulher alta e sedutora (em seu mistério) para homens e mulheres, aparece vestida com grande recato, muito mais coberta que revelada (…) No tempo das obviedades extrovertidas, Simone revela recatos e introversões que atraem ainda mais complexidades para a sua figura de comunicação.
Essa figura, poderosa, aparece cantando com força e vigor, um timbre morno, maduro, de meio soprano, grave, que não apenas aquece seu canto como o torna forte, de uma virilidade altamente feminina.
(…)  Mergulha fundo (e de olhos fechados) no vigor, na dor e na esperança de tudo o que pretende desvelar com sua arte amadurecente, amarga e bela”.
Jornal O Globo | 22.12.1982
 

Maria Amélia Rocha Lopes jornalista

“A façanha de reunir mais de 135 mil pessoas em somente nove apresentações no Ibirapuera foi apenas o começo de uma ascensão nacional, sentida algum tempo antes, quando de sua apoteótica apresentação no especial Canta Brasil, que o Jornal da Tarde descreveu assim: “Simone foi a responsável pelo momento de maior participação popular e entrou no palco com a certeza de que isto aconteceria, mas não conseguiu conter a emoção, aliás, como dezenas de pessoas, diante de um coro de cem mil vozes”.
Programa do show ‘Corpo e Alma’ | 1982

 

Fernanda Montenegro atriz

“O canto de Simone tem  a qualidade real da pessoa que ela é. O seu canto nos transmite cumplicidade feminina, autenticidade carnal, aconchego de amante, filha, mãe. É coração na garganta. É uma voz de cabeça, peito e ventre abertos. Que Deus a conserve”.
Release do álbum ‘Desejos’ |  06.08.1984

 

 

Tom Jobim cantor, compositor 

“Foi muito gostoso ter gravado com Simone, uma cantora maravilhosa e esse amor de pessoa. Um beijo só”.
Encarte do álbum  ‘Vício’ | 1987

 

2006-Simone-IvanLins
 

Simone no Coliseu 

“Fique atento: no palco desta sala vai entrar uma voz de um corpo com alma. Trinta e cinco anos de vida intensa, um metro e oitenta por uma voz sem fim, uma carreira de 15 anos que não parou de subir e evoluir. O nome é: Simone Bittencourt de Oliveira. Fantástica Simone!”
Excerto do programa ‘Simone no Coliseu dos Recreios’ em Lisboa, Portugal | 1986

 
Sueli Costa compositora

“Doze anos atrás Simone me ligou encomendando músicas para seu Lp. Gravou então, ‘Face a Face’ (letra de Cacaso) e ‘Jura Secreta’ (letra de Abel Silva). Desde então o tempo e as canções se encarregaram de unir nosso trabalho e nossa amizade. Hoje eu vejo Simone olhando com carinho o tempo e as canções dos seus compositores prediletos. Isso é lindo e surpreendente num país tão descartável como o nosso. Um beijo grande, Si, e muito obrigado pelo meu coração ateu“.
Encarte do álbum ‘Vício’, 1987

 

Milton Nascimento cantor, compositor

“Simone, é tão bom ouvir teu canto. Tão bom cantarmos juntos. Os ouvidos estão aí, sempre prontos para receber tua voz, teu encanto, a poesia. Mais que bom é ser teu amigo. Você é linda”.
Encarte do álbum ‘Vício’ | 1987

 

Ivan Lins cantor, compositor

“Onze de novembro , oito da noite. Tô no meu estúdio. Sozinho. Acabo de ouvir Doce Presença com a moça, numa fita mandada para que eu escrevesse estas mal traçadas. Marejou tudo. Tô meio sem ar. A única coisa que escapou de minha boca (e saiu alto) foi: Porra, que arraso!  (Vitor tem que ouvir…)”.
Encarte do álbum ‘Vício’ | 1987
 
Erasmo Carlos cantor, compositor

“Fiquei muito feliz com a gravação da Simone porque ela recriou Seu Corpo. Essa é uma das músicas que eu e Roberto mais temos carinho. Agora ela ficou redonda de vez”.
Encarte do álbum ‘Vício’ | 1987
 

Milton Nascimento cantor e compositor

“Tem uma moça que canta e tá a fim de te conhecer, me disse há alguns anos Hermínio Bello de Carvalho. E aí aconteceu. A gente se encontrou, se olhou. Simpatia fulminante. De repente, eu co-produzia seu disco ‘Gotas d’Água’ e tocava piano (junto com o Som Imaginário) numa memorável gravação da música do Chico. Dividimos o palco pelo Brasil, em concertos cheios de surpresas e alto astral. Compus com o Chico para ela Primeiro de Maio (a primeira dessa parceria). Depois surgiu a Cigarra, nome que ela incorporou ao seu carisma. E muito mais. Principalmente uma amizade forte, moleca, suave, séria. Isso acima de tudo. Ela corre o Brasil, se prepara para o mundo, profissionalmente irrepreensível. Estuda inglês, viaja, conhece.Viaja para o mundo e para dentro de todos nós.”
Encarte do álbum ‘Sedução’ | 1988 

 

1981-Simone-Caetano-Veloso
 
Hermínio Bello de Carvalho produtor musical

“Simone é um animal selvagem, de crina prateada, que ao subir num palco se exerce também como sacerdotiza de um culto ecumênico, onde através da música exorciza todos os seus demônios. Eu a conheci por volta de 1973 em São Bernardo do Campo. Disciplinada, atenta, obediente. Simone tinha uma estrela e a conserva até hoje.” [MAIS] Encarte do álbum ‘Sedução’ | 1988 
 

Flávio Rangel jornalista, diretor teatral e musical

“Simone é, com certeza, uma artista mais intensa e profunda … Uma artista luminosa.” [+ MAIS] Encarte do álbum ‘Sedução’ | 1988 

 

Marçal músico/compositor, cantor

“A gente falar de Simone é difícil… Simone é aquela baiana que chegou, viu e venceu. Artista de personalidade ,uma voz muito bonita e como pessoa humana uma beleza de criatura. Nossa irmãzinha que está sempre pronta a colaborar com a gente. Que Deus a abençoe para que ela continue a ser a pessoa humana que é . Que Nossa Senhora lhe cubra com seu manto sagrado – e continue a lhe dar muito sucesso. É isso que se precisa no mundo musical.”
Encarte do álbum ‘Sedução’ | 1988 
 

Fernanda Montenegro atriz

“Simone amiga, a sua voz é você: com sua elegância, calor humano e muito coração.”
Encarte do álbum ‘Sedução’ | 1988 

 

Jorge Amado escritor

“Simone – todas as qualidades deliciosas de uma mulher típica do povo brasileiro: amorosidade, sensualidade sem malícia, alegria envolvente, primitivismo feliz. Parece feita de canto e dança, de sol e luar.”
Encarte do álbum ‘Sedução’ | 1988 
 

Cazuza cantor e compositor

“A Simone é grande, bonita. Ela canta meio pra fora, meio pra dentro. É intimista e escandalosa, surfista e sereia. É uma voz que todo mundo quer ter no ouvido, na cama antes de dormir.”
Encarte do álbum ‘Sedução’ | 1988 

 

Zózimo colunista social e jornalista

“Não sei o que é melhor: Simone cantora ou Simone mulher. Na verdade só consigo alcançar a Simone cantora em casa, ouvindo seus discos. No palco, ao vivo, fico surdo, só consigo ter olhos para a Simone mulher.”
Encarte do álbum ‘Sedução’ | 1988 

 

Boni de Oliveira vice presidente da Rede Globo

“Simone, sorriso, simplicidade, sensibilidade… Sedução. A força de sua canção soa sempre como um jesto (sic) de amor, pois você, como ninguém, sabe adoçar os seus versos com o mel sensual de seus sedutores encantos.”
Encarte do álbum ‘Sedução’ | 1988 
 

Hortência jogadora da Seleção Brasileira de basquete

“Acho a Simone uma cantora fantástica ao mesmo tempo uma pessoa encantadora. Tem um carisma inegável- as pessoas realmente a amam. Suas letras têm sempre uma mensagem de amor e esperança. Acho simplesmente a Simone o máximo! Uma pessoa muito especial.”
Encarte do álbum ‘Sedução’ | 1988 

 


 

Chris McGowan crítico da revista Billboard, especializado em música brasileira

“Quando ela canta pode ser sua esposa, sua namorada, sua amante, uma sereia, uma musa, uma irmã, sua mãe quando você era bem jovem ou sua filha quando você ficar velho. Quando Simone conta uma história, todos a entendem, mesmo aqueles que não falam português.”
Encarte do álbum ‘Sedução’ | 1988

 
Daniel Filho diretor

“Eu ainda não tinha descoberto como fazer o programa. O primeiro foi gravado duas vezes seguidas, o que demonstrou que a atleta Simone estava em grande forma … Ela é uma pessoa agradável de se trabalhar, profissional e cheia de vontade de acertar. A idéia era envolver o cantor num clima de carinho. Tiramos cadeiras, botamos arquibancadas para uma platéia escolhida a dedo, e conseguimos. Simone foi um sucesso”.
Livro ‘Antes que me esqueçam’ | Editora Guanabara |  1988
 

Ney Matogrosso diretor, cantor

“Simone vinha de uma fase de shows muito dançantes. Pedi a ela, então, que não fizesse um gesto sequer algum até a quinta música, ‘Sou Eu’. Porque quando ela fizesse o primeiro gesto, ele teria um valor inacreditável. Outra mudança radical foi fazê-la cantar de vestido longo de renda, o que ela nunca havia feito. Eu mesmo desenhei. Fiz a roupa que Marilyn Monroe usou no filme ‘O príncipe e a showgirl” em 1957, com o Lawrence Olivier. A única coisa que ela não topou foi usar um salto de 15 cm. Disse que doía o pé. Quando ela cantava “Eu Sei que Vou te Amar” sem luz, lá na frente, no escuro, uma luz que vinha de trás a deixava nua. Era um efeito muito bonito. Eu pedi ‘canta para você’. O que me permite ousar na direção de shows, é saber o que é o lado de lá. E porque comigo, eu ouso tudo”.
Site Oficial Ney Matogrosso | 1992
 

Quincy Jones produtor, músico 

“Sem dúvida seria Miles Davis: ‘Miles Ahead’, todo o álbum. Essa seria uma para mim. É como se fosse uma só música. E a outra seria ‘Começar de novo’, com a Simone. Sim. Ela me faz ficar arrepiado”
Resposta de Quincy à pergunta feita por José Maurício Machline: “Se por acaso o mundo terminasse amanhã e você tivesse a chance de ouvir só mais uma música, qual seria essa música?”. Programa ‘Por Acaso’ | Band | 1994

 

 J.B. de Oliveira Sobrinho – Boni diretor

“No início dos anos 70, creio que em 1973, vi uma matéria jornalística na Globo sobre uma jogadora de basquete que acabara de virar cantora. Era a nossa estrela Simone. Fiquei sabendo que seu pai fora cantor de ópera e que sua mãe era pianista. O que mais me impressionou, no entanto, foi o timbre claro e penetrante de sua voz, ao mesmo tempo, quente e suave. Um olhar romântico, um rosto de linhas elegantes, emoldurado por cabelos soltos, sensualmente acompanhando seus movimentos, que completavam o exuberante talento que surgia.
Fui correndo atrás de suas gravações e incorporei Simone à minha restrita lista de preferências incondicionais”.
Release do CD ‘Feminino’ | Universal | 2002 

 
Gilberto Gil cantor, compositor 

“É uma belíssima cantora, fez uma carreira linda, com uma determinação, uma dedicação extraordinária, um cuidado maravilhoso com tudo o que faz e mais do que a cantora ela é uma grande performance, ela tem uma coisa de palco, os shows dela são ainda mais incríveis do que os discos”.
Brasil Musical | GNT | 2002
 

Caetano Veloso cantor, compositor 

“Simone é uma das artistas de música popular  no Brasil da mais alta qualidade que apareceram desde que eu voltei de Londres, nos anos 70 … De repente eu vi um disco da Simone e fiquei impressionado, como ela tem um timbre muito único e sobretudo como ela tem uma segurança musical que ela nunca desmentiu”.
Brasil Musical | GNT | 2002 

 
 Joyce cantora, compositora

“Gosto muito da Simone,  uma das grandes alegrias que eu tive foram as músicas minhas gravadas por ela, lindamente, com muita competência, com sentimento e pra um compositor de qualquer gênero musical no Brasil é sempre uma honra ter uma grande cantora como ela gravando música da gente”.
Brasil Musical | GNT | 2002
 

João Bosco cantor, compositor

“Morena que canta fazendo feitiço”.
O GloboOnLine | 2004
 
Toquinho cantor, compositor

“Um dia o Chico me telefonou perguntando como é que era a Simone, se ela cantava bem, se ela era legal. Ele estava procurando uma cantora para cantar o tema de Dona Flor e o Milton Nascimento lhe havia falado a respeito dela. Claro que eu só podia falar bem da Simone, de suas qualidades, pois já a conhecia o suficiente. E tirei a última dúvida que o Chico devia ter para aquela escolha. Ela gravou o tema de Dona Flor e passou a despontar mais porque talvez tenha sido seu primeiro sucesso interessante, para um público maior. E o Milton passou a colocá-la nos shows dele para cantar duas ou três músicas. Então ela embalou e seguiu sozinha pois sempre foi uma grande cantora”.
Livro ‘Toquinho 40 anos de Música’ | João Carlos Pesci | RCS Editora | 2005
 

Caetano Veloso cantor, compositor

“Ainda assim pensei em gravar Yolanda que eu idolatro , mas, de novo, a gravação brasileira de Simone com Chico me pareceu insuperável”.
Livro ‘O Mundo não é Chato’ | Caetano Veloso | Companhia das Letras | 2005

 

Brad Mehldau  pianista de jazz

“Descobri Simone no ano passado e foi como conhecer Sarah Vaughan ou Dinah Washington. Ela tem uma identidade forte, canta com muita paixão e graça”. [MAIS
Jornal Folha de São Paulo | 2006

 

Ana Maria Bahiana jornalista

“Entre os sopranos perfeitos de Gal Costa e Elis Regina e a qualidade telúrica de Maria Bethânia, Simone chegava com um outro padrão de quase tudo: beleza, postura, timbre. Seu repertório abraçava compositores mais jovens e mais arriscados que o das outras grandes divas, e tudo nela falava de independência, autonomia, uma figura nova de mulher que, como registrei nesta tarde no João Caetano, tinha identificado uma corrente subterrânea no público. Muitos passariam por esta trilha nos anos seguintes, e Simone saberia administrar a complicada tarefa de amadurecer em público e passar a ser, ela mesma, uma diva”. (1978)
Livro ‘Nada Será como Antes –  MPB anos 70 – 30 anos depois’ | Ana Maria Bahiana | Editora Senac Rio | 2006
 

Tiago Torres da Silva compositor

“Nunca vi um cantor estrangeiro ser tão aplaudido como ela é no Coliseu de Lisboa onde o seu público fiel bate palmas, bate com os pés no chão, grita, assobia, uiva. Só não bate com a cabeça porque não pode. Quando Simone se apresentou pela primeira vez no Coliseu dos Recreios, houve um técnico que lhe garantiu que ela não voltaria a ouvir aplausos tão calorosos. Cada regresso dela a Portugal funciona como um desmentido cabal às palavras desse técnico”. [MAIS]
Livro ‘Timbó – Aventuras de um português no Brasil’ | Tiago Torres da Silva | Editora Sete Caminhos | Portugal | 2006

 

Caetano Veloso cantor, compositor
“O disco da Simone com músicas do Martinho da Vila eu acho divino (…) Aquilo é divino. O repertório dele fez bem a ela – aquele disco é de eu botar em casa, sozinho de tanto que eu gostei. Ela deu clareza àquelas composições, é lindo. E foi um projeto pensado pela gravadora de uma cantora que cantaria um autor, combinado, não sei como foi, mas é lindo, é maravilhoso o resultado. E ela é uma grande cantora, muito boa, eu adoro. Uma voz muito bonita e que faz muito bem”.
Jornal da Tarde | 2006

 

Isolda compositora

“De certa forma, ‘Outra vez’ é uma música para se cantar sorrindo, feliz … Simone foi a única pessoa que interpretou minha música como deveria ser interpretada, ou seja, de uma maneira alegre, feliz, ela canta os versos sorrindo. Foi a melhor interpretação que ouvi de ‘Outra vez’ e eu falei isso para ela”.
Livro  ‘Roberto Carlos em Detalhes’ |  Paulo César de Araújo | 2007

 
Rita Lee cantora, compositora

“Se eu fosse buscar uma palavra para Simone eu escolheria elegância. Que moça elegante, em tudo, no físico, na música, no gestual e também de uma generosidade que é muito difícil se encontrar dentro do nosso meio. E você também não vê Simone em bocas de Matildes, ou seja: escândalos, sair pelada em revista de ricos e famosos, mostrando a casa, a cozinha a coleção de sapatos … Ela é elegante. Por isso que eu adoro. Que amiga bacana. Que menina genial. I love you, Simone”
Programa ‘Raul Gil – Homenagem ao Artista’ | Band | 2007
 

Vagner Fernandes escritor

“O Canta Brasil era uma continuidade dos shows 1º de Maio. A Tv Globo, para não se comprometer, transmitiu a apresentação que reunia Chico, Simone, Clara, Milton e mais um time de bambas da música brasileira como sendo um especial em memória de Elis Regina, que acabara de morrer. Argumento tolo, inventado pela emissora, para não explicar o real motivo do espetáculo: uma frente de resistência da classe à situação político partidária do Brasil. Simone, inclusive, protagonizou um dos mais belos momentos daquela fase de abertura quando cantou, emocionada, ‘Pra não Dizer que não falei das Flores’, acompanhada pelas cerca de 90 mil pessoas que lotavam o (Anhembi)*, em São Paulo”.
Livro ‘Clara Nunes – Guerreira da Utopia’ | Editora Ediouro Publicações | 2007
* correção: Estádio do Morumbi 

 
Marco Mazzola produtor 

“Com Simone fiz produções maravilhosas e vivi grandes momentos. Muitos deles ficaram marcados nos discos que trabalhamos, como Vício, de 1987, que tem obras maravilhosas dos maiores compositores da MPB, inclusive um dueto com Tom Jobim, na faixa Eu sei que vou te amar, que, para mim, é uma das melhores releituras desta canção feitas até hoje”.
Livro  ‘Ouvindo Estrelas’ | Marco Mazzola | Editora Planeta | 2007
 

Zé Pedro  DJ

“Eu amo a Simone. Ás vezes, nem tanto. É assim que seu canto me vem à cabeça. Sempre em extremos, nunca em tons médios (…)  Ela continua aqui. Eu também. Eu amo Simone. Às vezes, muito”.
Livro  ‘Meus discos e nada mais’ | Zé Pedro | Editora Jaboticaba | 2007

 
José Nuno Martins produtor (Portugal)

“Uma cantora de excessos e minudências, de encontros e afastamentos que, assim ouvidos, até parece que passaram muitos deles, a fazer parte da minha vida. E, quem sabe, talvez da sua… Esplêndida Simone, mágica Simone. E tão contraditória”
Release da coletânea ‘Começar de Novo – O Melhor de Simone’ | EMI Portugal | 2007 
 

Zélia Duncan cantora, compositora, atriz, produtora

“Simone é uma grande estrela, pisa no palco com a força da história”.
Jornal Correio Braziliense | Brasília | 2008

 

Fernanda Montenegro atriz 

‘‘Sua voz é extraordinária e sem muletas. Quando você se diz sentimental, é aí que está seu grande ganho. É com este sentimentalismo que seu talento se revela’’.

Marília Pera atriz

‘‘A primeira coisa que me vem aos sentidos é o seu timbre de voz, que é muito bonito, quente, inebriante e envolvente. Não é chamada de Cigarra à toa’’.

 

Marieta Severo atriz 

‘‘Tenho um prazer especial de ver a Simone em cena. Ela tem uma capacidade de se expressar e de se comunicar com seu público muito grande e poderosa’’.

 

Regina Duarte atriz 

‘‘As canções que Simone canta já fazem parte da minha vida, desde ‘Começar de Novo’, tema de Malu Mulher. Gosto de ouvi-la principalmente ao vivo. Além de passar segurança, é também forte e doce’’.
 

Araci Balabanian atriz 

‘‘A primeira vez que Simone me chamou a atenção foi no tema de abertura de Malu Mulher. Me apaixonei por ela. Não só pelo repertório, mas também pela postura que tem no palco”.

 

Milton Nascimento cantor, compositor
 
“Simone é cria da casa. Começou praticamente junto com a gente, me acompanhou em várias coisas. Na carreira dela eu sempre estive presente, sempre dei palpite, sempre a gente conversou. E todo cantor é importante, todo cantor é porta voz, todo cantor é emoção”.

 

Alberto Helena Junior jornalista

“Aquela figura esbelta, perfil talhado a cinzel, um olhar de madeira e mel … O sotaque levemente abaianado e as canções com gosto de terra eram o álibi perfeito … Quando entra em cena, em vez de impor seu atlético porte, aconchega-se. E o que brilha são dois olhos de mel e madeira …”
Jornal Folha de S. Paulo | Caderno Especial, 20 Cantoras do Brasil | 1995

 

Dandy Jack DJ – música eletrônica

“Simone… Eu jamais ouvi alguma coisa semelhante a sua voz. Jamais.
Ela tem uma voz masculina. Uma voz intensa, grave, profunda e muito sexy. Muito dramática. Eu choro quando a ouço.
Penso que ela seria uma boa combinação com a música eletronica. Ela seria uma “matadora”.” [MAIS]
RA Resident Adivisor – Electronic Music Magazine, Inglaterra e Alemanhã | 2007

 

Armando Manzanero cantor, compositor

“Tengo la ventaja de haber creado muchas canciones conocidas y traducidas en otros idiomas. Las que más se han traducido son ‘Esta tarde vi llover’, ‘Adoro’, ‘Somos novios’ y ‘No sé tú’, pero la que más funciona en todo el mundo y se escucha como si fuera nueva es ‘Contigo aprendí’”.
De esta última, asegura que su versión favorita es la de la cantante brasileña Simone. “Es de lo más exquisito (tradução: delicioso, de bom gosto, agradável, atraente, primoroso) que he escuchado”
CNN México | jan 2014

 

Helena Silveira jornalista

“Voz de Simone, fisionomia de Simone, emoção de Simone, eis os elementos que encheram o espetáculo dirigido por Daniel Filho. Penso que ela irá morar sempre na adolescência, não importe a cronologia regendo seu momento no mundo. A antivedete Simone, cantora de botar muito respeito. Canto maior de mulher que sabe escolher seu repetório”
Folha de S.Paulo | 11.03.1980