SIMONE GRAVITA EM TORNO DE SEU PRÓPRIO UNIVERSO PARTICULAR EM SHOW COM HITS DE IVAN LINS


Em 2018, Simone e Ivan Lins se reuniram pela primeira vez em cena no show que originou a turnê Simone Encontra Ivan Lins, espetáculo acalentado desde a década de 1980, quando a dupla estreitou relações após a estrondosa gravação da intérprete para Começar de Novo, uma das mais belas canções da excepcional parceria entre Ivan Lins e Vitor Martins, composta especialmente para a série televisiva Malu Mulher, da Rede Globo, exibida em 1979 (ano da gravação do tema).

BRUNO CAVALCANTI | ANNA RAMALHO | 09.07.2019

Em 2018, Simone e Ivan Lins se reuniram pela primeira vez em cena no show que originou a turnê Simone Encontra Ivan Lins, espetáculo acalentado desde a década de 1980, quando a dupla estreitou relações após a estrondosa gravação da intérprete para Começar de Novo, uma das mais belas canções da excepcional parceria entre Ivan Lins e Vitor Martins, composta especialmente para a série televisiva Malu Mulher, da Rede Globo, exibida em 1979 (ano da gravação do tema).

A canção teria efeito tão decisivo na carreira de Simone, que a cigarra jamais deixou de incluir em seus discos e shows uma canção de Ivan, e chegou a dedicar disco inteiro ao compositor em 2004 (Baiana da Gema), com um repertório inédito composto pelo homenageado especialmente para o projeto.

Passados 40 anos daquele primeiro encontro – e 15 anos do supracitado álbum Baiana da Gema – Simone volta a se encontrar com a obra de Ivan em Simone Canta Ivan Lins, show que deu o pontapé inicial a turnê que deve percorrer as principais capitais do Brasil na noite de ontem, 09, no Teatro Porto Seguro, no Bom Retiro, zona central de São Paulo.

A bem da verdade, o show apresentado pela cantora na noite de ontem nada mais é senão um desdobramento do projeto que a reuniu com o compositor entre 2018 e meados de 2019. Neste show, Simone recicla boa parte do repertório, arranjos e até mesmo o cenário utilizado no espetáculo anterior, começando desde a abertura, ao som de medley que uniu Abre Alas (1974) e Cantoria (1978).

Sob a direção de Zélia Duncan e a direção musical de Délia Fischer, Simone Canta Ivan Lins até ameaça sopro de novidade ao revirar o baú do compositor e resgatar canções pouco lembradas, como a delicada Amor (1981), parceria com Vitor Martins que abre o BIS deste show em que a intérprete, do alto de seus incompletos 70 anos (a serem festejados em 25 de dezembro deste ano), volta a se mostrar uma das grandes intérpretes de sua geração, e uma das melhores do Brasil.

É essa a sensação que paira quando a cantora interpreta Aos Nossos Filhos, o pungente tema gravado por Elis Regina em disco de 1980, que Simone canta quase em feitio de oração ao som do piano de Marco Britto, suspendendo a respiração da plateia que presenciou uma das interpretações mais magnéticas da música imortalizada pela pimentinha.

A canção (inédita em sua voz) caiu como uma luva, sublinhando a impressão de que Simone, de fato, é a melhor intérprete da obra de Ivan Lins, impressão essa que pairou por toda a apresentação, principalmente pelo fato de boa parte das 22 canções (divididas em 19 números) já terem feito parte do repertório da cigarra em algum momento.

Mesmo Madalena (1971), a canção de Ivan e Ronaldo Monteiro de Souza que notabilizou o compositor graças a gravação definitiva de Elis Regina, caiu como uma luva no registro mais sincopado de Simone, que, de fato, orbitou em seu próprio universo particular, principalmente por enfileirar os próprios hits compostos por Ivan, como a supracitada Começar de Novo (infalível na interpretação sempre relevante da cigarra), Atrevida (1980) e Ai, Ai, Ai, Ai (1990), gravada por Simone em 1991 e, que teve seu clima latino dosado pelo (afiado) quinteto que acompanhou a cantora em cena.

Formada por Lui Coimbra (cello e violão), Marco Britto (teclados e piano elétrico), Bruno Vilhari (baio), Christiano Galvão (bateria) e Thiago da Serrinha (percussão), a banda injetou lufada de ar fresco em alguns temas já batidos, o que fez crescer Vitoriosa (1985), mas prejudicou o saboroso samba É Festa(2004).

É claro que, derivado de show anterior, este Simone Canta Ivan Lins se ressente com a ausência do compositor, principalmente em temas como Bandeira do Divino (1978), O Amor é meu País (1970) (que contou com momento bonito, com os vocais de toda a banda) e Somos Todos Iguais Nesta Noite (1977), grande tema de acento latino que foi interpretada com o pé no freio.

Mas, verdade seja dita, foi esse pé no freio que contribuiu para que Bilhete, a canção lançada em 1980 por Fafá de Belém, crescesse sem a costumeira interpretação dramática, e se destacasse justamente pela delicadeza com a qual Simone passa o doído recado da separação.

Se a festa de Desesperar Jamais (1980) levantou o público, foi o edificante discurso de Novo Tempo(1984) que encerrou o show no clima que o público, que lotou o Teatro Porto Seguro na noite fria de uma terça-feira, esperava ver Simone cantado Ivan Lins.

Ainda que tenha um teor de novidade bastante pífio, e que também não tire a cigarra da zona de conforto na qual se instalou na última década – Simone Canta Ivan Lins resulta bonito perante a história construída pela cantora com aquele que veio a se tornar o principal compositor de sua carreira. Mas ainda falta a cigarra uma lufada de ar fresco que não faça com que a História relativize sua importância frente ao cenário da música popular no Brasil.

COTAÇÃO: * * * (BOM)

Confira abaixo o roteiro seguido na noite de ontem, 09 de julho:

1- Abre Alas (Ivan Lins\ Vitor Martins, 1974)\ Cantoria (Ivan Lins\ Vitor Martins, 1978)
2- Somos Todos Iguais Nesta Noite (Ivan Lins\ Vitor Martins, 1977)
3- A Noite (Ivan Lins\ Vitor Martins, 1979)
4- Daquilo que eu Sei (Ivan Lins\ Vitor Martins, 1981)
5- Aos Nossos Filhos (Ivan Lins\ Vitor Martins, 1978)
6- O Amor é meu País (Ivan Lins\ Ronaldo Monteiro de Souza, 1970)
7- A Quem me Faz Feliz (Ivan Lins\ Abel Silva, 2002) / Começar de Novo (Ivan Lins\ Vitor Martins, 1979)
8- É Festa (Ivan Lins\ Paulo César Pinheiro, 2003)
9- Vieste (Ivan Lins\ Vitor Martins, 1987)\ Mudança dos Ventos (Ivan Lins\ Vitor Martins, 1980)
10- Vitoriosa (Ivan Lins\ Vitor Martins, 1985)
11- Madalena (Ivan Lins\ Ronaldo Monteiro de Souza, 1971)
12- Ai Ai Ai Ai (Ivan Lins\ Vitor Martins, 1990)
13- Bilhete (Ivan Lins\ Vitor Martins, 1980)
14- Atrevida (Ivan Lins\ Vitor Martins, 1980)
15- Bandeira do Divino (Ivan Lins\ Vitor Martins, 1974)
16- Antes que Seja Tarde (Ivan Lins\ Vitor Martins, 1978)
17- Desesperar Jamais (Ivan Lins\ Vitor Martins, 1980)

BIS:

1- Amor (Ivan Lins\ Vitor Martins, 1981)
2- Novo Tempo (Ivan Lins\ Vitor Martins, 1984)