SIMONE BIOGRAFIA



 
“DIGA LÁ, CONTE AS HISTÓRIAS …”
Após cantar “Coqueiro de Itapoã” (Dorival Caymmi), “Bandeira Branca” (Max Nunes/ Laércio Alves) e “uma canção do Roberto Carlos”, acompanhada ao violão por Elô Barontini, em uma reunião informal na casa de Moacir Machado – na época, gerente de marketing da Odeon – a baiana Simone é convidada a fazer um teste para a gravadora. Aprovada, assina contrato com a Odeon em outubro de 1972 e grava seu primeiro álbum, SIMONE, lançado em 20 de março de 1973, data assinalada pela cantora como início de sua carreira.Dirigido por Milton Miranda, e com músicas compostas por Dalto, Lô e Márcio Borges, Max Nunes, Joyce, Taiguara, Ivan Lins, dentre outros, em 20 de março de 1973 Simone é apresentada a jornalistas e radialistas em um coquetel promovido pela gravadora Odeon no Salão Coral do extinto Hotel Hilton, então situado na Avenida Ipiranga, 165, em São Paulo.Sobre sua estréia Simone declarou: “Foi no dia 20 de março de 1973, num coquetel no Hotel Hilton, em São Paulo. Eu, que era internacionalmente desconhecida, fui apresentada aos lobos …”. (Jornal do Brasil, Rio de Janeiro RJ, 21.11.2002)Simone participa, em abril, de show promovido pela Odeon com parte do elenco da gravadora em comemoração aos 10 anos de carreira do cantor Altemar Dutra, no Clube Piratininga na capital paulista, sendo esta a primeira apresentação de Simone em público.
“Quando o Altemar fez dez anos de carreira, eu estava sendo lançada. E a Odeon fez uma homenagem para ele, se não me engano, no Clube Piratininga, em São Paulo. Foi a primeira vez que cantei em público. Lembro-me que cantei Bandeira Branca. Eu já era fã dele” (Clique Music, 2000)Entre os dias 19 e 25 de setembro, no Esporte Clube Pinheiros em São Paulo, capital, Simone participa, ao lado de Leny Andrade,
Márcia e Ari Vilela, da EXPO-SOM 73 – mostra dos mais modernos aparelhos de som nacionais e internacionais.
Parte do show foi lançado pela Odeon, em álbum incluído na discografia oficial de Simone. Nele ela canta clássicos de Dorival Caymmi, como ‘Nem eu’, ‘Coqueiro de Itapoã’ e ‘João Valentão’, além de ‘Fechei a porta’, de Sebastião Mota e Delice Ferreira dos Santos (esposa de Jamelão).


CRONOLOGIA

[EM CONSTRUÇÃO]